100chance

100chance Futsal 2010
100chance Futsal: Clube de futebol de salão, da Cidade Ademar, Zona Sul – São Paulo-SP, fundado em 10 de julho de 2003. O mais destacado time da capital paulista, com seus altos e baixos como qualquer agremiação esportiva amadora.
100chance Futsal

Goleiro
Fixo
Alas
Pivô
Teinador
Massagista

O FUTSAL

O futsal, antigamente denominado de futebol de salão, é derivado do futebol de campo, uma adaptação feita para um campo menor – a quadra.
Desporto relativamente jovem, o futsal em pouco tempo passou a ser o mais praticado dentre os brasileiros. Vários fatores contribuem para que isto aconteça, como:

Possui regras fáceis
Pode ser praticado na rua e até em campos improvisados;
Não exige equipamentos sofisticados.

Esta modalidade é jogada com os pés e o jogador se desloca conduzindo ou tocando a bola com qualquer parte do corpo, exceto com as mãos.
Uma partida é disputada por duas equipes, cada uma composta por cinco jogadores, um dos quais é o goleiro.
Estes jogadores deverão se apresentar uniformizados, isto é, com calção, camisa, meias e tênis.
Num jogo oficial de futsal, são quatro os oficiais de arbitragem, responsáveis pelo controle da partida:

dois árbitros,
um cronometrista
(que marca o tempo de jogo),
e um anotador (que faz as anotações na súmula).

Oficialmente, uma partida consta de dois tempos de 20 minutos cada um, cronometrados, com um intervalo de 10 minutos para descanso.
A quadra oficial tem as seguintes medidas: 30 a 42 metros de comprimento, 17 a 22 metros de largura.
Área do goleiro tem 4 metros (quadra pequena) e 6 metros (quadra grande)
A marca de pênalti fica a 6 metros da linha de gol, exatamente sobre  a linha da área do goleiro.
Círculo central tem um raio de 3 metros.
As balizas medem 3 metros de largura e 2 metros de altura. Medidas estas sempre pelo lado interno das mesmas.
Um jogo é iniciado no centro da quadra pela equipe que venceu o sorteio da posse da bola. A outra equipe deve ficar distante a três metros da linha de meio de quadra. Após o apito do árbitro, o jogador encarregado do toque inicial deve movimentar a bola PARA FRENTE.
O OBJETIVO do jogo é marcar gols, isto é, colocar a bola dentro da meta do adversário, ultrapassando totalmente a linha de gol. Vence a equipe que no final de uma partida tiver marcado o maior número de gols.

HABILIDADES TÉCNICAS DO JOGADOR DE FUTSAL

Domínio da bola: o recebimento da bola chama-se abafamento ou domínio da bola, que pode ser de várias maneiras: abafamento com a cabeça ( testa ), abafamento com a coxa, abafamento com o peito, abafamento com o pé ( lado interno, lado externo, peito do pé, sola do pé ).
Condução da bola: a bola deverá ser conduzida com o lado externo, interno, peito ou ponta do pé, colocada ao lado do corpo sempre em posição de chute.
Passe: a troca de bola entre os companheiros de uma equipe é fundamental para a formação de um conjunto, é a base para poder estruturar uma equipe. Sendo o futsal um esporte coletivo ele exige que o passe e a troca de bola sejam perfeitos. Tipos de passes: peito de pé, calcanhar, cabeça, lado interno do pé, lado externo do pé, região plantar.
Chute ao gol: o chute é um movimento que imprime à bola força e direção, visando, dentro das circunstâncias, a obtenção de um gol ou um passe eficaz.
Podemos impulsionar a bola quando ela está parada no solo, quando corre rasteira, ou quando em trajetória alta.
Quando feito com o peito do pé, é para dar mais direção à bola, quando é feita pela ponta do tênis, chamamos de bico (muito utilizada nas categorias de base).
Podemos classificar os diferentes tipos de chutes:

Chute simples – com o peito do pé.
Chute de pivô – realizado com a parte interna do pé, fazendo a bola se elevar.
Chute de voleio – rebater a bola, com o peito do pé, quando ela vem alta.
Chute de semivoleio – consiste chutar uma bola que vem alta, tocando-a no momento em que ela também toca o chão (bate – pronto).
Chute de calcanhar – bater na bola com a parte de trás do pé.
Chute de condução – muito utilizado no futsal, é feito com a parte interna do pé.
Chute de encoberta – consiste em erguer a bola, geralmente parada ou quase parada, jogando-a por sobre o adversário.
Chute de bico – utiliza-se a extremidade anterior do pé.
Cabeceio – impulsionar a bola, utilizando a parte anterior da cabeça (testa).

Drible (finta): o atleta executa um drible, quando de posse da bola ou sem, consegue na sua movimentação ultrapassar o adversário (marcador). Existem os dribles (fintas) curtos e longos de acordo com a distância do marcador. Esta virtude é inata em alguns atletas e aperfeiçoada nos treinamentos.

JOGADORES DO FUTSAL

Para entendermos melhor os sistemas de jogo, precisamos conhecer melhor as posições dos jogadores, são elas:

Goleiro: Guarnece a meta e orienta seus companheiros quanto às deslocações e coberturas. Além disso, ele tem uma importância ofensiva, quando, com as mãos ou pés, faz lançamentos para seus companheiros.
O goleiro é o único jogador que pode usar as mãos e sua ação com as mãos é limitada pela área de gol.

Fixo: Em todas as equipes sempre existe um jogador que se desloca dentro da quadra, a fim de lançar bolas para os companheiros bem colocados, desarmar os contra-ataques, receber bolas recuadas dos companheiros em dificuldade, uma de suas características é a facilidade em destruírem jogadas adversárias.
O fixo é o último jogador da defesa, próximo do goleiro. Por isso, deve estar sempre atento para as coberturas necessárias.

Alas ou laterais: No sistema tático das equipes, além do homem fixo, existem jogadores que se deslocam pelas laterais da quadra, alternando sua ação na defesa e no ataque. Eles recebem os passes do goleiro e do fixo, armam jogadas, finalizam ou penetram na defesa adversária. Esses jogadores são chamados de alas ou laterais. Entre outras características, eles devem ser bons finalizadores, armadores e bons nas coberturas defensivas.

Pivô: em todo sistema tático, sempre é conveniente colocar um ou mais jogadores entre a defesa adversária, com a função de atrapalhar e confundir os jogadores da equipe contrária. Além disso, ele cria situações em que seus companheiros possam penetrar na defesa oposta e ainda arrematam contra a meta. Esse jogador é chamado de pivô. O jogo ofensivo geralmente gira em torno desse elemento. Ela ainda recua para ajudar a defesa no caso do adversário atacar com todos os seus homens.

SISTEMAS TÁTICOS DO FUTSAL

Sistema tático 2 x 2

Este sistema utiliza dois jogadores na defesa e dois no ataque.
Um dos jogadores da defesa tem a função de fazer o papel de homem fixo, enquanto o outro cuida da armação da jogada e da infiltração na defesa adversária. Eles podem inverter as suas funções, conforme a jogada.
Quanto aos atacantes, um deles ocupa a posição de pivô, e o outro desempenha a função de ala, recuando para ajudar a defesa sempre que necessário.
O recuo e o avanço dos jogadores devem ser muito cautelosos e devem ser feitos com uma estruturação garantida por uma cobertura eficiente e segura.

Sistema tático  3 x 1

Neste sistema, a equipe defende-se e ataca com três atletas. Deve haver um homem fixo definido e um pivô que ampara equipe em todos os momentos difíceis. O sistema é completado pelo trabalho das pontas, que armam, atacam e defendem.

Táticas Defensivas:

Por zona: Nesta marcação temos um jogador que joga “na frente”, dois “alas”, direito e esquerdo, ficando atrás um fixo.
Marcação homem x homem: Neste tipo de marcação cada jogador marcará um adversário. Pode ser meia quadra ou quadra inteira.
Marcação mista: Como o próprio nome indica, é a conjugação das duas marcações. Sua aplicação será de grande valia quando, tendo o adversário um jogador muito habilidoso, se faça sobre ele a marcação individual e nos outros a marcação em zona.

REGRAS E PENALIDADES NO FUTSAL

Substituição de atleta
Durante o transcorrer de uma partida cada equipe poderá fazer a qualquer tempo um número ilimitado de substituições, sem necessidade de paralisar-se o cronômetro, mediante o prévio aviso ao anotador.
Durante a substituição deveremos observar algumas condições:

O atleta que sai da quadra deve fazê-lo pela linha lateral, na zona de substituição.
O atleta que entra na quadra deve fazê-lo pelo mesmo local, mas nunca antes do atleta sair completamente da quadra.

Faltas Técnicas
É quando o atleta comete, intencionalmente, uma das seguintes infrações:

Dar ou tentar dar pontapé no adversário.
Calçar o adversário, isto é, derrubar ou tentar fazê-lo usando as pernas, agachando-se na frente ou por trás dele.
Segurar um adversário com as mãos ou impedi-lo de ação com qualquer parte do braço.

Faltas Pessoais
São quando:

O goleiro demorar mais de 4 segundos para repor a bola em jogo, depois de ter sido por ele agarrada ou declarada em condições de ser jogada.
Qualquer atleta demorar mais de 4 segundos para repor a bola em jogo nas cobranças de tiro livre, tiro de meta ou penalidade máxima.
O goleiro tocar ou controlar com suas mãos a bola fora da área.

Falta Disciplinar
Entrar na quadra o atleta substituto antes que saia o atleta substituído ou incorporar-se ao jogo por local fora da zona de substituições será considerada falta disciplinar.

Punições
As equipes poderão cometer, em cada período de partida, até 5 faltas cumulativas, limite máximo que enseja a formação de barreira, com atletas. Serão consideradas faltas cumulativas todas as faltas técnicas e pessoais.
O atleta que cometer, durante o transcorrer da partida, 5 faltas técnicas e/ou pessoais, será desclassificado.
A punição dos atletas, técnico ou treinador, massagista, médico e preparador físico, será determinada pela exibição de cartões, em cores distintas, a saber:

De cor amarela, que significa advertência;
De cor vermelha, que significa expulsão.

A expulsão de atletas participante da partida será temporária para a equipe e pelo tempo de 2 minutos, após o que poderá retornar outro atleta em seu lugar. O atleta expulso, não poderá retornar à partida nem permanecer no banco de reservas.

Tiros Livres
Tiros livres são os chutes desferidos, quando da reposição da bola em jogo em razão da paralisação da partida, ocorrida por assinalação de falta técnica, e através do qual poderá ser marcado, diretamente, um tento.
A penalidade máxima é um tiro livre cuja cobrança é feita da marca correspondente e, nesse momento, todos os atletas, com exceção do goleiro e do atleta indicado para a cobrança, deverão estar dentro da quadra de jogo, mas fora da área de meta do infrator e numa distância de 6 metros atrás da linha da bola.

Arremessos
O arremesso de meta caracteriza-se quando a bola atravessar inteiramente a linha de fundo pelo alto ou pelo solo, excluída a parte compreendida entre os postes e sob o travessão de meta, após ter sido tocada ou jogada pela última vez por atleta de equipe atacante. Deverá ser devolvida ao jogo exclusivamente pelo goleiro, com as mãos, para além de sua área de meta, de qualquer ponto dela. Na devolução, a bola não poderá ultrapassar a linha do meio da quadra sem que toque no solo ou num jogador.

O arremesso do goleiro identifica-se pelo ato de ele soltar a bola das mãos, repondo-a diretamente em jogo, depois de inteiramente segura. O simples fato de espalmar ou impulsionar a bola, sem segurar a mesma, não será considerado como arremesso.

O arremesso lateral caracteriza-se quando a bola atravessa inteiramente as linhas laterais, quer pelo solo ou pelo alto.

O retorno da bola à quadra de jogo dar-se-á por um arremesso com os pés no exato lugar em que a bola saiu, em qualquer direção, executado por um atleta da equipe adversária àquela que tocou a bola por último. Este não poderá ter nenhum dos pés dentro, da quadra, no momento de executar o arremesso.

O arremesso de canto caracteriza-se quando a bola ultrapassar inteiramente a linha de fundo ( excluída a parte compreendida entre os postes de meta e sob o travessão ) quer pelo solo ou pelo alto, após ter sido tocada ou jogada pela última vez por um atleta da equipe que estiver na defensiva.

O arremesso será executado por um dos atletas da equipe adversária, com o uso dos pés, exclusivamente, e nesse momento o executor do arremesso deverá ter uma parte do pé apoiada no solo. O arremessador terá a sua frente voltada para o vértice do ângulo formado pelas linhas lateral e de fundo, no ponto em que se juntam. Neste vértice, terá um quarto de círculo, unindo a linha lateral com a de fundo, podendo a bola ser colocada dentro deste espaço para  a execução do tiro de canto.

TERMOS DO FUTSAL

Enfiar a bola – fazer com que a bola chegue ao pivô.
Pisar – parar ou rolar a bola para os jogadores que vêm de frente  para o gol em condições de chute.
Dar o gato – ameaçar uma progressão em velocidade e voltar ao local onde estava.
Parede – existem dois tipos de parede: a que é feita pelo pivô, que segura a bola com a sola do pé preparando a jogada aos alas, e o bloqueio corporal que imita o corta-luz do basquetebol.
Bola cavada – lançamento feito com o bico do tênis, impulsionando a parte inferior da bola, que  descreverá uma parábola.
Diminuir – encurtar o espaço do adversário que tem a posse da bola.
Fechar o meio – manter sempre o espaço do meio da quadra guardado por um jogador.

Widget de texto simples

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna ali. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor.

Post Recente

Contato

Firm: 100chance
Address: 04750-030 São Paulo,
São Paulo, Brasil
Phone: +55 11
Cel: +55 11 9-5385-8554
Email: diez@100chance.net